Notícias

Comitê do Fogo destaca resultados positivos com ações realizadas em 2018

28/11/2018 - Nara Moura/Governo do Tocantins 

Na manhã desta quarta-feira, 28, o Comitê Estadual de Combate a Incêndio Florestal e Controle de Queimadas no Estado do Tocantins (Comitê do Fogo) divulgou um balanço geral das ações de prevenção e combate a incêndios, desenvolvidas, no Estado, em 2018. O evento, realizado no auditório do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci), em Palmas, contou com a presença de várias instituições que compõem o Comitê e divulgou números como 1262 propriedades rurais visitadas e 366 brigadistas capacitados.

“Esta manhã, estamos comemorando a redução do número de queimadas, no Estado. As ações do Comitê do Fogo foram desenvolvidas por muitas mãos e em conjunto com todos os órgãos membros, que ajudaram a reduzir os focos de queimadas. Saímos do 4º lugar para o 7º, uma redução aproximada de 15 mil focos, o que equivale a uma diminuição de 65% no número de focos de incêndios em relação a 2017”, disse o Coordenador Estadual de Proteção e Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins (CBMTO), coronel Reginaldo Leandro da Silva, que, na oportunidade, também agradeceu a parceria e participação das Organizações Não Governamentais (ONGs) e as instituições privadas.

Durante o evento, o presidente do Comitê e Coordenador Estadual Adjunto da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec-TO), tenente-coronel Geraldo da Conceição Primo detalhou as principais ações realizadas, deste ano, incluindo o “Lançamento da Campanha/Força Tarefa, “Dia ‘D’ de Prevenção a Queimadas e Incêndios Florestais nos Municípios”, “Operação Integrada de Fiscalização e Combate a Incêndios Florestais” e a “Capacitação de Brigadas nos Municípios”.

“Os resultados positivos que estamos colhendo surgiram porque são, ao todo, 29 instituições que trabalharam de forma integrada, tanto na prevenção como na fiscalização e combate aos incêndios. Além disso, várias ações da própria comunidade igualmente contribuíram para essa redução de focos. É claro que existem os fatores climáticos que favoreceram esses resultados, mas nós saímos do 4º lugar no raking nacional para o 7º e isso mostra que o trabalho em equipe e o envolvimento da sociedade funcionam, pois com as instituições trabalhando juntas e de forma integrada, nós conseguimos resultados satisfatórios”, destacou o presidente do Comitê e o superintendente da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec-TO), tenente-coronel Geraldo da Conceição Primo.

Dia ‘D’ de Prevenção a Queimadas e Incêndios Florestais

Em 2018, o Comitê do Fogo visitou um total de 1262 propriedades rurais em 12 cidades do Tocantins, incluídas as dez que mais registraram focos de incêndios em 2017. O trabalho envolveu 15 instituições e 24 veículos em campo, além dos carros de apoio às equipes. As cidades visitadas foram: Palmas (345 propriedades); Formoso do Araguaia (89); Lagoa da Confusão (109); Ponte Alta do TO (95); Rio Sono (45); Pium (107); Mateiros (93); Paranã (145); Lizarda (83); Santa Rita do TO (56); Almas (31) e Pedro Afonso (40). 

Capacitação de Brigadas nos Municípios

A ação de capacitação de brigadas foi realizada em 35 municípios tocantinenses, totalizando 366 brigadistas capacitados, onde destes, 252 foram de fato contratados pelas prefeituras dos municípios. “Isso quer dizer que 84% do total dos profissionais capacitados foram contratados, comprovando que estamos no caminho certo”, disse o presidente do Comitê, tenente-coronel Primo.

“Pretendemos melhorar o nosso trabalho, em 2019, pois a nossa meta é avançar cada vez mais. Este ano, nós adiantamos bastante a conscientização dos municípios para contratar brigadas de incêndio”, finalizou o presidente.

Brigadistas contratados em 2018

Um total de 530 brigadistas atuou na prevenção e combate a incêndios, em todo o Tocantins, sendo 252 contratados diretamente pelas prefeituras; 60 do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins); 200 do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama/PrevFogo) e 18 do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Operação Integrada de Fiscalização e Combate

A Operação Integrada de Fiscalização e Combate a Incêndios Florestais realizou o patrulhamento contínuo, em rotas determinadas, durante o período crítico de estiagem, nas áreas com maior concentração de queimadas e com indícios de queima em anos anteriores, em Palmas. O objetivo foi coibir o uso ilegal do fogo, além de realizar a orientação dos proprietários rurais na região.

Além da própria Cepdec-TO, o trabalho contou também com a Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), o Batalhão de Policiamento Ambiental da Polícia Militar (BPMA), a Guarda Metropolitana de Palmas(GMP) Ambiental, o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), a Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) de Palmas e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Instituições

Além da Cedec-TO, também são membros do Comitê do Fogo, no Tocantins, o Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins (CBMTO); o Ministério Público Estadual (MPE), a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh); o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins); o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins); Secretaria da Comunicação Social do Tocantins(Secom); a Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro); a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc); o Batalhão de Policiamento Ambiental da Polícia Militar (BPMA); a Secretaria da Infraestrutura do Tocantins (Seinf); Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec); o Instituto de Terras do Estado do Tocantins (Itertins); a Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema); a Diretoria Executiva da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Tocantins (Fetaet); a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (Faet); a Guarda Metropolitana Ambiental de Palmas; a Superintendente da Defesa Civil de Palmas; o Instituto Nacional de Colonização (Incra); o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); o 22º Batalhão de Infantaria do Exército Brasileiro e como convidados o Grupo Energisa  e a empresa Bunge Brasil.