Notícias

Educação lança Bloco de Aulas de educação Ambiental com temáticas relativas ao enfrentamento das queimadas

31/07/2020 - Guilherme Gandara/Governo do Tocantins

Com  o objetivo  de ressignificar e fortalecer as ações educativas, no cenário de pandemia, contribuindo para a formação integral, responsabilidade socioambiental  e  prevenção dos focos de  incêndios no Estado, o Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), lançou na manhã desta quinta-feira, 30, o Bloco de Aulas: 'Queimadas Educação Ambiental'. A ação é integrada ao Comitê Estadual de Combate a Incêndios e Controle de Queimadas - Comitê do Fogo.

O evento on-line reuniu educadores, membros do Comitê, representantes de instituições governamentais e não governamentais, equipes das Diretorias Regionais de Educação (DREs) e convidados para apresentação do bloco, objetivos e metodologias adotadas. 

A ação faz parte do plano de ação do Comitê do Fogo, como iniciativa da Seduc, que elaborou o Bloco, dará as orientações, fará o acompanhamento e suporte para implementação, de forma conjunta com  outros órgãos, redes municipais e parceiros, como o Ministério Público e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh).

No lançamento, a superintendente de Educação Básica da Seduc, Amanda Pereira  Costa, destacou a importância da implementação desse material. "Já estamos chegando em um período do ano em que a umidade do ar diminui e as queimadas aumentam. Pensando nisso, traçamos o caminho da sensibilização. Precisamos repensar ações do nosso fazer cotidiano. Assim como plantamos árvores, a Educação também lança sementes, que contribuem e auxiliam a sociedade, neste combate".

O superintendente da Defesa Civil, tenente-coronel Erisvaldo Alves, destacou que as ações educativas são parte essencial para o enfrentamento das  queimadas, muitas resultantes de costumes e ações humanas.  Ele reforçou, ainda, o compromisso em promover ações contínuas de educação ambiental.

"Esse trabalho de diminuição dos incêndios tem três pilares, a prevenção, o combate e a fiscalização. A educação é importante pois traz resultados de médio e longo prazo. É ali que se distribui o conhecimento. As ações educativas são responsáveis por trazer benefícios culturais e assim podemos deixar descendentes conscientes, com atividades educativas que têm efeitos profundos e duradouros".

Já a Responsável  pela  Unidade Técnica Executiva de Meio Ambiente e Saúde da Seduc, Fabricia Neli, explicou as diretrizes e intencionalidades pedagógicas, destacando que a aplicação será uma etapa para aprimoramento e ampliação das  temáticas. 

"O Bloco de Aulas vai ao encontro da proposta de retomada e atuação  nesse momento de ressignificação, são propostas para estudos não presenciais, que podem ou não ser mediadas por meios digitais. Assim, optou-se por estratégias diversas para facilitar a aplicação do bloco pelas unidades escolares, professores e estudantes. São sugeridos vídeos, textos científicos, jornalísticos e propostas lúdicas em formatos  diversos, com atividades complementares entre outras possibilidades. Sempre na perspectiva  de atrair o interesse dos estudantes e também  abordar as ocorrências locais, o que reforça a educação ambiental como transformadora ", frisou.

Bloco de Aulas

Foram elaborados 12 planos de aula com material didático que contém textos, vídeos, gráficos, mapas, reportagens, dados estatísticos e exercícios, além de propostas de produção e pesquisa. As propostas atendem aos pressupostos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o Documento Curricular do Tocantins, além da Lei nº 9.795/1999 e a Resolução nº 2 de 15 de junho de 2012 (Diretrizes Nacionais Curriculares para a Educação Ambiental). O conteúdo pode ser acessados por  professores, estudantes, equipes gestoras, técnicos das Diretorias Regionais, além de pais e outros profissionais interessados.

A temática 'Queimadas' vai além dos conceitos e reflexões da área ambiental, engloba também assuntos interdisciplinares como análise de gráficos, aspectos geográficos e históricos, valores  e interpretação de texto.

O material será desenvolvido nos meses de agosto e setembro pelos estudantes, conforme série e ano. Ele foi organizado e elaborado reconhecendo o potencial para a  aprendizagem autônoma, sem reduzir a importância do papel do professor como mediador e orientador.